QI GONG

QI GONG 12QI GONG ou “Chi Kung”, como é pronunciado, é um termo de origem chinesa, que significa “trabalho de energia”.

Essa terapia milenar, de primeira escolha na China e praticada nesse país em larga escala, consiste na repetição de exercícios dinâmicos e harmoniosos, bem como na permanência em posturas estáticas e meditativas, que juntamente a um trabalho respiratório direcionado e fundamental, agem estimulando e promovendo uma melhor circulação de energia vital (Qi) no corpo.

Uma vez sendo capaz de interferir no fluxo energético, essa terapia completa promove a saúde, trata diversas doenças, aumenta a longevidade, reequilibra o corpo físico, mental e emocional, promovendo a auto-cura e, com sua prática constante, o individuo ainda alcança uma elevação no padrão de consciência e na percepção sensorial.

A prática do QI GONG terapêutico pode ser executada por qualquer pessoa, não importando a idade, a constituição física ou o estado de saúde, pois é uma técnica perfeitamente adaptável, que respeita os limites físicos e emocionais de cada praticante..

O QI GONG, como é praticado nos dias de hoje, remonta à época da Dinastia Han (206 aC – 220 dC), quando começou a ser sistematizado, sendo resultado de milhares de anos de experiências dos chineses.

Estudos científicos realizados no Ocidente, a partir do início da década de 70, comprovaram os efeitos da prática do QI GONG no corpo humano e sua interferência no fluxo do “Qi” (energia).

Pesquisas do Instituto de Qi Gong e Medicina Chinesa de Shanghai comprovaram que o Qi pode ser medido por sensores infravermelhos e os resultados foram debatidos e aceitos por grande parte da comunidade científica internacional.

O QI GONG, bem como as demais técnicas que compõem a Medicina Tradicional Chinesa, é aceito pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e atualmente inserido no sistema de saúde.

QI GONG 1Existem centenas de variações de QI GONG, que se desenvolveram separadamente em várias regiões da China, com suas peculiaridades, a partir da compreensão de princípios da Natureza e da observação dos movimentos dos animais considerados por eles como mais “espiritualizados”.

Apesar de ser largamente utilizado com fins terapêuticos, o QI GONG também pode ser empregado com finalidade marcial (defesa e ataque), para desenvolvimento mental/intelectual e para elevação de consciência espiritual, como fazem os monges Taoistas e Budistas.

É bastante recomendável que os terapeutas que trabalham com Medicina Chinesa, ou com qualquer técnica terapêutica que mobilize energia, sejam praticantes de QI GONG.

O terapeuta, mantendo sua energia equilibrada e aprendendo a direcionamento essa energia, consegue potencializar a manipulação das agulhas de acupuntura, as manobras das massagens e aumentar a eficácia dos resultados de sua prática clínica. Além disso, como o QI GONG amplia as faculdades sensoriais, a percepção das necessidades do paciente fica mais evidente, assim como aumenta a sensibilidade e precisão no diagnóstico do pulso e localização dos acupontos.

Para levar o paciente a uma atitude de vida saudável, é preciso viver de forma saudável.